Gênesis Israel Silva

Por que Deus Criou o Homem? Qual Propósito? | Estudo Bíblico

Por que Deus Criou o Homem? Qual Propósito? | Estudo Bíblico

Por que Deus criou o homem? A primeira parte do livro do Gênesis é provavelmente a mais desafiadora e difícil de entender. Seus versos descrevem o desenrolar da criação de um universo permeado por mistérios.

E ainda, embora a sua linguagem seja difícil, percebemos que estas palavras contém a chave para entendermos a fundação de toda a existência.

Talvez o maior mistério de todos, a pergunta que tem ocupado a mente humana e sua imaginação desde os tempos remotos, encontrada no princípio da sociedade humana, é sem dúvida o tema que abordamos neste estudo:

Qual o propósito da nossa existência? Por que Deus criou o homem?

Esse é o dilema que vem perseguindo o homem desde o dia da sua criação. E a Bíblia fala muito brevemente sobre esse assunto, e sua curta afirmação pode passar facilmente despercebida.

“E tomou o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar.” Gênesis 2:15

Esta afirmação não é tão excitante quanto poder conversar com uma serpente falante, e nem tão atraente quanto a visão do fruto proibido, ainda assim carrega o sentido de todas as ações humanas, com apenas duas simples palavras:

Lavrar (trabalhar) e guardar.

Por que Deus criou o homem?

Enquanto que o texto continua sua narrativa, mais mandamentos são acrescentados para estabelecer os parâmetros deste mandato e dar à humanidade as ferramentas para poder realizá-lo.

E de fato, o próximo verso de Gênesis contém uma linguagem que pode ser considerada como um mandamento:

“E ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda a árvore do Jardim comerás livremente, Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, Dela não comerás;

porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” Gênesis 2:16-17

Os subsequentes livros da Bíblia vão acrescentar mais e mais mandamentos, alguns para toda a humanidade, outros direcionados especificamente aos filhos de Israel, porém todos eles, de uma forma ou de outra, dizem respeito a estas duas categorias primordiais:

  • Trabalhar e Guardar.

Considerando esta dinâmica, vemos que trabalhar implica em movimento, expansão. Já guardar implica na criação de limites e fronteiras.

Estas duas ações não são mutuamente excludentes, muito pelo contrário, elas são como dois lados de uma mesma moeda, agindo juntas, são dois opostos que equilibram um ao outro.

Trabalhar a terra

A ideia de trabalhar hoje em dia é talvez um tanto ligada a sacrifício, cansaço e labor. Mas não era esse o sentido da palavra que o Gênesis quer nos trazer.

O texto bíblico é muito vivo em si mesmo, e por diversas ocasiões nos convida a participar da história que conta, a preencher os vazios deixados.

E esta passagem é mais uma destas, convidativa à participação direta do ser humano. Isto é notável pela forma como a Bíblia nos fala do término da criação de todas as coisas:

“Assim os céus, a terra e todo o seu exército foram acabados.” Gênesis 2:1

Este verso do Gênesis traz essa declaração da finalização do que poderia ser entendido como a primeira fase da criação.

Sim, esta é a primeira fase, pois há uma segunda fase em que Deus constituí o homem como seu parceiro nesta obra criadora:

“Estas são as origens dos céus e da terra, quando foram criados; no dia em que o Senhor Deus fez a terra e os céus, E toda a planta do campo que ainda não estava na terra, e toda a erva do campo que ainda não brotava;

porque ainda o Senhor Deus não tinha feito chover sobre a terra, e não havia homem para lavrar a terra” Gênesis 2:4-5

Aqui fica claro sobre o que o Gênesis 2:1 falava, o término da parte divina na criação. A parte final do verso 5 é a mais relevante para o nosso entendimento, pois o início daquele mesmo verso diz que:

“toda a planta do campo que ainda não estava na terra, e toda a erva do campo que ainda não brotava”

E aponta como um dos motivos a falta do homem, pois “não havia homem para lavrar a terra”.

E é daí por diante que entra a nossa parte, a nossa contribuição como parceiros, amigos de Deus na tarefa de cuidar da criação.

“E tomou o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e o guardar.” Gênesis 2:15

Nós somos convidados por Deus a expandir as obras de suas mãos. Ele nos quer como parceiros na administração de sua herança.

O lavrar a terra traz a mensagem implícita de que não houve um ponto final na história da criação, ainda há muito por fazer para expandir a obra de Deus, e Ele nos confiou esta boa tarefa.

O mundo pode parecer um lugar mau, mas não era assim no princípio quando Deus o criou. O mundo será mau, se nós formos maus, se não formos bons no propósito para o qual fomos criados

Lavrar a terra indica o movimento, as ações que temos que tomar para cultivarmos o mundo e dele colhermos aquilo que o Criador desejou no princípio.

A terra já está preparada, falta somente que comecemos a trabalhar:

– criar relacionamentos saudáveis, formar famílias, crescer em conhecimento e na transformação de si mesmos e buscar a felicidade, o amor ao próximo, a caridade e todas as boas obras que Deus deixou para que andássemos por elas.

“Não dizeis vós que ainda há quatro meses até que venha a ceifa? Eis que eu vos digo: Levantai os vossos olhos, e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa.” João 4:35

Guardar a terra

E tudo isso sem esquecermos de guardar a terra, respeitar os limites, as fronteiras criadas por Deus. Guardar é observar a mensagem moral de Sua lei. A lei moral de Deus é o nosso parâmetro.

Quando desenvolvemos a nossa vida em amor, expandimos a criação, a parte que o Criador deixou para que fizéssemos, lavramos a terra.

E quando observamos os mandamentos divinos nos colocamos em posição de guardar a criação. Enquanto que a desobediência a Deus é a causa do mal e da morte, a guarda de seus mandamentos nos conduz à vida e à felicidade.

Assim nos tornamos aptos a colher os frutos bons, principalmente os frutos do Espírito, alcançamos o propósito para o qual fomos criados, andar pelas boas obras, que de antemão foram preparadas para nós.

“Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna.

E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido.” Gálatas 6:8-9

Sobre o autor | Website

Formado em Hebraico Bíblico, Geografia Bíblica, Novo Testamento, e Estudos do Apocalipse; é Especialista em Estudos da Bíblia, certificado pelo Institute of Biblical Studies da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!