Milagres Israel Silva

O Filho da Viúva de Naim Teologia | A Viúva de Naim | Estudo Bíblico

O Filho da Viúva de Naim Teologia | A Viúva de Naim | Estudo Bíblico

Toda Judeia ficou sabendo da história sobre o filho da viúva de Naim. Naim, que em hebraico significa a bela, a graciosa, era uma aldeia construída próximo ao Hermom, a sudoeste de Nazaré.

A cidade de Naim

Naim está situada na região de Suném, onde morava a sunamita, figura muito conhecida no Antigo Testamento. Atualmente Naim é uma pequena cidade edificada sobre os escombros da aldeia que existiu.

a cidade de naim

A cidade atual de Naim no monte More, no norte de Israel.

Jesus encontra o cortejo fúnebre

Jesus percorreu trinta e oito Km, vindo de Cafarnaum, onde curou o servo de um centurião. Ele pôde chegar a Naim à tarde, horário em que normalmente se realizavam os funerais.

E ele estava acompanhado por muitas pessoas felizes, que glorificavam a Deus pelos sinais que haviam visto.

Mas Jesus quando rodeava e subia a encosta que leva à cidade de Naim, encontra um cortejo fúnebre. O morto, um jovem, filho único de uma mãe viúva. O filho da viúva de Naim.

O cortejo fúnebre, seguia em sentido contrário ao de Jesus, para o cemitério, que se localizava (conforme o uso dos hebreus), a certa distância das casas, fora da povoação.

A dez minutos a leste de Naim, ainda hoje são vistos sepulcros abertos na rocha.

E há esse contraste de ânimos. De um lado, uma multidão alegre pelo que presenciaram com Jesus. De outro, parentes e amigos, choravam a morte de um filho querido.

“E, quando chegou perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto, filho único de sua mãe, que era viúva; e com ela ia uma grande multidão da cidade.” Lucas 7:12

A viúva de Naim

E a mãe do jovem morto, via a tragédia da sua vida se agravar ainda mais. Já havia perdido o marido e passado um sofrimento enorme. Como a mulher naquela época não podia ter emprego e salário, restou ao filho prover o seu sustento.

O filho da viúva de Naim sobre o esquife

O filho da viúva de Naim sobre o esquife.

Porém com a morte de seu filho, esta viúva sofrida, além do sofrimento da separação pela morte de sua família, estava agora sozinha, sem nenhum meio de sustento. A viúva de Naim estava exposta à solidão e à miséria.

Os moradores da cidade ficaram comovidos ao tomar conhecimento daquela tragédia que se desenhava. Logo se juntou muita gente, abalada pela morte do filho da viúva, ainda mais tocada por seu próprio destino que se revelava entristecedor.

A ressurreição do filho da viúva de Naim

E Jesus ao vê-la, moveu-se de íntima compaixão por ela. Em um lance o mestre entendeu a vida daquela pobre viúva.

O mestre movido em si mesmo, aproxima-se do esquife (uma espécie de urna fúnebre) e o toca. O cortejo é paralisado. Pela tradição, e recomendação da lei cerimonial, não se podia tocar em um morto.

Mas o mestre não se prende à letra, e nem aos costumes. Ele não fica insensível ao sofrimento humano.

“E, chegando-se, tocou o esquife (e os que o levavam pararam), e disse: Jovem, a ti te digo: Levanta-te. E o defunto assentou-se, e começou a falar.” Lucas 7:14

Nos corações já se podia ouvir murmurações, como pode um judeu tocar um morto? Mas o mestre mostra que é senhor da lei, da vida e da morte. Jesus ordena e o morto se levanta. O mestre carinhosamente o conduz e o entrega a sua mãe.

a ressurreição do filho da viúva de naim

A Ressurreição do Filho da Viúva de Naim.

Ninguém mais resiste ficar calado. Todos se maravilham e glorificam a Deus! Definitivamente a morte encontrou com a vida naquele dia! O enterro virou festa! Coisas de Jesus.

Um dia pra ficar marcado na história daquela cidade e de todo Israel!

O mundo precisava saber: Todo aquele que crê em Jesus, com certeza, ainda que esteja morto, viverá!

Sobre o autor | Website

Formado em Hebraico Bíblico, Geografia Bíblica, Novo Testamento, e Estudos do Apocalipse; é Especialista em Estudos da Bíblia, certificado pelo Institute of Biblical Studies da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!